Translate

Pesquisar este blog

quarta-feira, 1 de março de 2017

A pobreza do Evangelho 

da Prosperidade

_________________________________________________

 

A vida verdadeiramente abundante

Os defensores do evangelho da prosperidade veem as coisas de uma forma diferenciada. Eles defendem que a sua posição é bíblica, citando as Escrituras para apoiar suas reivindicações, e usam o texto de João 10:10  "Eu vim para que tenham vida e tenham em abundância."
Jesus nos dá vida em abundância, mas a vida em abundante é independente das circunstâncias. O reino de Deus é justiça, paz e alegria “ no Espirito Santo” (Romanos 14:17)
A verdadeira vida abundante é aquela que repousa em Deus, Ele é o Senhor sobre as coisas boas e as coisas terríveis em nossa vida. Como diz Jó ", receberemos de Deus o bem, e não receberemos o mal?" ( Jó 2:10 )
Quando afirmamos que a vida sem dor é a recompensa de Deus para o justo, insinuamos aos feridos que seus problemas são consequência de suas iniquidades.
Tragicamente, o evangelho da prosperidade tem envenenado a igreja e mina a nossa capacidade de lidar com o mal e o sofrimento, "Porque a vontade de Deus é que todos sejam curado, sempre. Os fiéis nunca sofrerão. "
Essa crença é contrária à Bíblia. Jesus diz que teremos tribulações ( João 16:33 ).Pedro diz que não devemos ser surpreendidos pelo sofrimento ( 1 Pedro 4:12 ). No livro de Tiago temos: “Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações ( Tiago 1: 2 )”. E Paulo diz “Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu. ( Romanos 5: 3-5 )”.
Claro, que quando estamos com alguma doença ou problema Deus intervém em nossas vidas de uma maneira sobrenatural, e nos cura, ou soluciona um problema que para nós pode parecer impossível desta forma, Ele é glorificado através de nossas vidas.  
Mas vejo Deus mais glorificado quando as pessoas ainda não estão curadas e mesmo assim, continuam a louvá-lo no meio de profundo sofrimento - quando tudo o que têm é arrancada e tudo o que resta é somente Deus. E Ele é suficiente.
Deus é mais glorificado quando nós declaramos que Ele nos basta em meio de uma grande perda. Assim como fez com Jó.
O evangelho da prosperidade ensina que nós vivemos para as bênçãos materiais. Jó ensina que devemos viver para a glória eterna de Deus. No coração do evangelho da prosperidade é o nosso valor. No coração de Jó, e toda a Escritura, é o valor de Deus.
Satanás vê a prosperidade como condicionante para a fidelidade, isto fica evidente quando ele diz a Deus que a fidelidade de Jó estava baseada nas bênçãos que Jó recebia, e que se essas bênçãos fossem tiradas ele amaldiçoaria Deus. Mas Deus fala que seria exatamente o oposto. Deus afirma que Jó o ama por quem Ele é, não pelo que Ele dá.
E quando Jó é capaz de dizer, depois de perder tudo, "O Senhor deu, e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor " ( Jó 1:21 ), ele declara a sublimidade de Deus. 
Como o salmista declara:
     A quem tenho eu no céu senão a ti?
          E não há nada na terra que eu deseje além de ti.
     A minha carne e o meu coração desfaleçam, mas Deus é a fortaleza do meu coração e a minha porção para sempre. ( Salmo 73: 25-26 )

Que todos nós, como Jó, encontremos o nosso tesouro em Deus, que é a nossa herança para sempre.

0 comentários: